Boas-vindas e Contadores

Este Blog já está em sua terceira versão! Aqui eu me sinto à vontade para ser eu mesma e escrever sobre qualquer coisa que povoe a minha mente. É onde eu desabafo, reflito, compartilho experiências e descobertas, mantenho registro de momentos felizes e de desafios superados, guardo um arsenal de boas memórias, pensamentos e reflexões para me ajudarem nos dias difíceis... Sejam bem-vindos e não pisem na grama, rs... Ah! Se quiser trocar ideias e compartilhar experiências, visite a Página no Facebook, que é uma extensão deste Blog (e acho que os recursos são melhores para todo mundo acompanhar e palpitar)!

domingo, 17 de fevereiro de 2013

Consagração Luísa e Ísis

Hoje, dia 17/02/2013, foi a consagração da Luísa e da Ísis.
Eu nunca havia participado de uma cerimônia de Consagração e mal sabia o que ela representava. O Pastor Edu nos enviou um texto explicativo e nos deu todas as orientações sobre como proceder.

Os significados da Consagração são:
1. Gratidão a Deus pelo seu cuidado durante todo processo, desde a concepção até o nascimento e também pelos primeiros meses de vida do filho;
2. Consagração a Deus no sentido de assumir um compromisso de criar e educar o filho segundo sua maneira e com base na Palavra de Deus;
3. Petição a Deus pela benção na vida do filho na saúde física, emocional, intelectual, social e espiritual. Também pela capacitação para o exercício de uma paternidade responsável.

Ontem, fiquei o dia todo pensando no tema e escrevi um testemunho e algumas palavras de agradecimento, que falei na hora, além de "completar" a oração de benção dos pais, que foi lida pelo Luis durante a cerimônia. É claro que as coisas saem um pouco diferentes no momento, por conta da emoção, mas deixo aqui registrado, para que as meninas possam ler quando crescerem um pouco mais...







TESTEMUNHO e AGRADECIMENTOS

Esta é a primeira cerimônia de Consagração da qual eu participo e é uma grande alegria ser a consagração de nossas filhas: a Luísa, com 2 anos e 3 meses... E a Ísis, com 4 meses de vida.

Os filhos são um presente de Deus e também uma responsabilidade muito grande. Deus concede a todos os pais esta missão sublime, grandiosa e bela,  dando-nos o poder de colaborar com Ele na criação, na educação e na formação dos homens de amanhã.

A Palavra de Deus é a melhor herança que nós, pais, podemos oferecer a nossos filhos e Jesus Cristo é o melhor Guia para nos indicar o caminho a seguir.

Nós procuramos uma Igreja que pudéssemos frequentar todos juntos após constituirmos uma família de fato, com a chegada de nossas filhas. O que nos moveu foi a vontade de nos tornarmos pessoas melhores, para que pudéssemos ser bons pais, bons guias e  bons exemplos para elas. Desejamos criar e educar nossas filhas da melhor forma possível, queremos que conheçam a Palavra de Deus, que saibam o quanto são amadas por Ele, que desenvolvam a fé, a esperança e a caridade, que amem e respeitem ao próximo, que sejam pessoas de bem, que vivam como perfeitas filhas de Deus, encaminhadas na vocação que o Pai Celeste previu para elas desde o nascimento.

Começamos a frequentar esta Igreja em Janeiro do ano passado (2012), eu, o Luis e a Luísa. A Luísa tinha acabado de completar 1 ano e eu havia acabado de passar pelo auge de uma crise de depressão, transtornos de ansiedade, ataques de pânico (...) Eu já fiz um relato sobre isso antes, aqui, no final do ano, mas o ponto que eu quero destacar é que foi graças à minha crença em Deus, ao amor de minha família e dos meus amigos, às orações que recebi (inclusive dos amigos desta Igreja), às orações que minha mãe me ensinou quando criança, aos bons livros e bons profissionais aos quais tive acesso, à certeza de que tudo faz parte de um Plano Maior, de que tudo está certo, de que tudo serve a Deus e possui um propósito divino (...), que eu consegui aceitar a doença, realizar o tratamento necessário, suportar as semanas, meses de dor, agonia e desespero sem cometer qualquer loucura. Graças a esta força interna, consegui iniciar a jornada pela modificação dos comportamentos e padrões de pensamento que me levaram a adoecer...

Eu ainda estou em tratamento, que é mesmo uma jornada, mas completei 90 dias sem medicamentos e me sinto cada vez mais fortalecida, mais madura, mais apta para a maternidade e para a vida. Por isso, sou grata a Deus por mais este desafio. E quero garantir que minhas filhas terão esta mesma certeza: De que não importa o tamanho do desafio, nem as dificuldades enfrentadas... nós podemos fazer tudo com a ajuda de Deus, Ele nos dá força, quando já não sabemos de onde tirá-la.
Na mesma época em que começamos a frequentar a Igreja, Deus nos enviou mais um presente: nossa Ísis! Eu estava aos 9 meses de gestação no dia de nosso Batizado, em 02 de Setembro. Ela nasceu no dia 25 e já enfrentou seus primeiros desafios: teve uma insuficiência respiratória, ficou na UTI em seus primeiros dias de vida e foi identificada uma CIV (cardiopatia) que, graças a Deus, desapareceu quando ela tinha 2 meses.... Hoje ela tem a saúde perfeita!


A minha gratidão é, em primeiro lugar, a Deus, que nos deu a oportunidade de sermos pais e nos enviou filhas tão maravilhosas... Deus, que está sempre presente em nosso lar e nos suporta, especialmente, nos momentos de dificuldade, que não deixa que nos falte o pão material e o alimento espiritual. Agradeço também aos nossos pais, aos meus e aos do Luis, por terem nos dado a vida, por mostrarem a importância da família, por falarem de Deus, de Jesus, por ensinarem a orar e por terem construído o alicerce do que somos hoje.

Conhecemos o tamanho da responsabilidade e também os desafios da Maternidade/Paternidade e contamos com o apoio da Igreja, dos pastores e, acima de tudo, de Deus, para que possamos cumprir esta missão da melhor forma possível. Agradecemos pela oportunidade de consagrar nossas filhas... E agradecemos também às nossas filhas, por tudo o que estamos aprendendo por conta delas e com elas.
Muito obrigada!


ORAÇÃO DE BENÇÃO DOS PAIS
Nós, L​uis Carlos e​ Cristiane, pais da Luísa e da Ísis, queremos nesta cerimônia de consagração agradecer a Deus pelo seu cuidado e proteção desde a concepção, nascimento e até aqui.
Reconhecemos que em todos os momentos Deus esteve nos abençoando e direcionando em cada decisão que tomamos.
Somos gratos pelo privilégio de sermos pais e de podermos participar na formação física, emocional, intelectual, social e espiritual de nossas filhas.
Queremos, diante de Deus e da Igreja, declarar nosso compromisso de educar nossas filhas nos caminhos de Deus, procurando instruí-las de acordo com a Palavra de Deus.
Queremos com nosso viver mostrar a elas o caminho em que devem andar para que nunca se desviem dele.
Queremos abençoá­-las para que possam prosperar no plano que Deus estabeleceu para as suas vidas.
Que elas cresçam com saúde, em um ambiente repleto de paz e amor. Que nós, pais, sejamos para nossas filhas verdadeiras imagens de Deus, a fim de que elas encontrem em nós todo o apoio, amor, segurança e compreensão de que necessitam.
Que em nosso lar reine sempre a paz, a união, a alegria e o amor.
Pedimos a orientação de Deus em todos os momentos para podermos ter sabedoria, paciência, perseverança e, acima de tudo, amor.
Reconhecemos nossa inteira dependência de Deus e nos colocamos como instrumentos de Deus para abençoar a vida de nossas filhas.
Com alegria e gratidão a Deus, oramos... em nome de nosso Senhor Jesus Cristo. Amém!

quinta-feira, 14 de fevereiro de 2013

Tão óbvio...


Em nossa casa, no escritório, temos um quadrinho com fotos minhas e do Luis... são fotos antigas, da época em que ainda éramos namorados.

A Luísa sempre gostou de olhar fotografias, especialmente estas.
Outro dia, estava no colo do pai, que tentava distraí-la... Estavam perto deste quadrinho e o Luis mostrou uma das fotos, perguntando à Luísa:
- "O que o papai está fazendo aqui?"
Acho que ele esperava qualquer coisa, menos a resposta que ouviu:
- "Tá tirando foto, ué!"

quarta-feira, 13 de fevereiro de 2013

Cia. Filarmônica

Aproveitamos que estávamos em Campos do Jordão e participamos do Carnaval Cultural, no Auditório Cláudio Santoro, assistindo aos dois espetáculos da Cia. Filarmônica: "Beatles" e "Cinema".

Estávamos os 15 integrantes da minha família dentro de uma van, a caminho do primeiro espetáculo, enquanto eu explicava para a Luísa (2 anos e 2 meses) onde estávamos indo: "Luisinha, nós vamos assistir aos Beatles segundo a Cia. Filarmônica, vai ser bem legal...".
Ela abriu um grande sorriso e perguntou, entusiasmada:  "Eu vou ver a 'Monca' (Mônica), mamãe?".
Com jeitinho, tentei esclarecer: "Não, filha, é a Cia. Filarmônica..."
Ela virou para o pai, mostrando que havia entendido tudo: "Papai, eu não vou ver a Monca, não... só a FILHA DA MONCA!".
Todo mundo caiu no riso... =)

Apesar de não ter visto a Turma da Mônica, que ela adora, aproveitou o espetáculo (durante o curto espaço de tempo em que esteve acordada).


segunda-feira, 4 de fevereiro de 2013

Besteirinhas...

Acho interessante como todos acham graça em besteirinhas...
Fico abismada, por exemplo, ao ver um homem tão inteligente como meu marido se contorcer de rir com os Simpsons, o South Park, ParTOBA (YouTube), Porta dos Fundos (YouTube) e outras besteiras do gênero.

Minha mãe sempre foi super certinha... até hoje, ela fica sem jeito se ouve palavrões. Desaprova até um "Droga!" ou "Saco!", independentemente da situação em que sejam ditas!
Lá em casa, somos em 4 irmãs... só meninas... então, nunca fui muito acostumada a ouvir muitas besteiras.
Quando eu era pequena, lembro que gostava de cantar uma versão da música "Explode Coração", dizendo "Explode meu calção"... e achava que era uma grande transgressão.
Quando comecei a trabalhar, aos 16 anos, fui parar na área de TI que atendia os produtos de Câmbio e Comércio Exterior, no antigo Banco Real (hoje, Banco Santander). Na época, quase só havia homens na área e era comum aparecer algum palavrão no meio do expediente... Eu ficava super sem jeito, então os meninos começaram a substituir os palavrões por "Poxa vida!". Era muito engraçado, mas claro que não durou muito... 

Um dia destes, estava cantando com a Luísa uma musiquinha que ela adora:
"Eu vi um sapo-po 
Na beira do rio, rio, rio
De camisa verde
A tremer de frio
Não era sapo
Nem perereca
Era a Luísa
Mas que sapeca!"

Achei engraçadinho que ela, no momento do "Eu vi um sapo-po", deu uma risadinha marota, colocou a mãozinha na boca como se fosse um absurdo e disse: "Mamãe, você falou popô"... e apontou seu traseirinho! 


Honey, honey...


A pediatra que cuida de minhas meninas, Dra. Ana Paula, pede para que não seja dado mel para as bebês até completar 1 aninho. 
"O problema de dar mel ao bebê é que pode haver esporos da bactéria Clostridium botulinum, que provoca o botulismo. Não importa a marca ou a procedência do mel, o perigo sempre existe. Como o sistema imunológico dos bebês ainda não está maduro, eles podem pegar uma forma da doença chamada botulismo infantil. Bebês de até 6 meses são especialmente vulneráveis, mas os médicos recomendam que se espere até a criança ter pelo menos 1 ano para dar mel. 
Por isso, mesmo que o bebê esteja resfriado, com tosse ou com prisão de ventre e você tenha ouvido falar que mel faz bem, não dê nem um pouquinho à criança se ela tiver menos que 1 ano. 
Os esporos do botulismo são muito resistentes e podem sobreviver até à pasteurização e a altas temperaturas. O xarope de milho também pode conter o esporo. 
Os sintomas do botulismo surgem entre 8 e 36 horas depois da ingestão do alimento contaminado. Entre os sintomas estão prisão de ventre, falta de apetite e falta de energia. A doença é muito rara, mas, se você desconfiar que algo está errado com seu filho, procure atendimento médico na hora. "

Foi a Kátia, esposa do meu primo Marcelo, que trouxe pra mim o primeiro potinho do mel "Ísis"... achei o máximo!
Descobri que esta empresa, brasileira, é produtora de alimentos saudáveis. Atua no setor de produtores de mel desde 1986 e na área de Food service desde 2005. 

Curiosidades:
Até a idade média, o mel era a principal fonte de açúcar. Seu declínio se deu no século 13, com a importação para a Europa da cana-de-açúcar. Depois disso, a segunda grande ofensiva deu-se por volta de 1750, quando um químico alemão chamado Markgraf, descobriu um processo que permitia a fabricação de açúcar a partir da beterraba açucareira. Nascia então o açúcar industrial. As consequências para o mel seriam desastrosas. Começou-se então ao que chamamos a Nova Era Doce. Passados muitos anos, verificou-se que a melhor forma de adoçar ainda continuava sendo com o mel, pois ele é constituído por:  Vitaminas: B, B1, B2, B5, B6, G, H, PP, Minerais: cálcio, fósforo, enxofre, potássio, cloro, sódio, magnésio, ferro, manganês, cobre, silício, bório, nitrogênio e outros, presentes em pequenas quantidades. 
O mel é utilizado como aditivo e ingrediente para Panificação, Biscoitos, Massas e Cereais. 

Tipos de mel e seus atributos:
  • Mel de eucalipto - É um mel mais escuro, com gosto mais forte e com grande concentração de vitaminas. Ótimo auxiliar na prevenção e tratamento de resfriado, bronquite, irritação da garganta, sinusite e tosse.
  • Mel silvestre - Sua cor e gosto variam dependendo da diversividade das plantas que o originaram. Tem efeito sobre todo o organismo, sendo calmante e desintoxicante. 
  • Mel de laranjeira - Geralmente é mais claro e perfumado, indicado para insônia e excelente para o aparelho digestivo. Os médicos o recomendam graças às suas propriedades que agem sobre a flora intestinal. Também é o mais indicado como adoçante. 
O mel também é usado como um ótimo conservante nas indústrias de alimento. 
O mel puro de abelhas foi considerado um alimento e medicamento dos mais completos e nutritivos de que a humanidade tem noção. 
O mel é um produto de origem vegetal elaborado dentro e fora do organismo da abelha. Esta transforma o néctar colhido das flores em delicioso, aromático e saboroso mel. 
Todo mel extraído do favo é líquido, mas logo cristaliza. Levando-se em banho-maria até 60ºC, torna-se novamente líquido. Acima desta temperatura, os componentes vitamínicos são destruídos. 
A fonte energética do mel é muito grande, podendo ser agregado a qualquer produto. 
A única preocupação com relação ao mel seria sua qualidade. Por isso, ao adquiri-lo como ingrediente seria preciso checar a qualidade do fornecedor, verificando se o mesmo tem um laboratório para que ele possa ser analisado e, ao ser manipulado no entreposto, este possa estar adequado a um Controle de Qualidade que insira as boas práticas de fabricação (GMP) e o HACCP ou APPCC (Análise de Perigos e Pontos Críticos de Controle). 
O mel também deveria ter um registro no Serviço de Inspeção Federal (SIF) e obedecer à fiscalização imposta por ele quanto à relação de umidade, acidez, Ph, Lugol, Lund e Fiehe. 

Nada melhor do que o mel em nossa sociedade, que agora está voltada para o culto ao corpo. Convém recordar que 100 g de mel são equivalentes a 300 calorias diretamente assimiláveis pelo organismo. Em resumo, 30 g (1 colher de sopa) de mel por dia constitui em média uma dose preventiva, excelente para qualquer adulto. Para as crianças, 15 a 20 g são suficientes. 

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...