Boas-vindas e Contadores

Este Blog já está em sua terceira versão! Aqui eu me sinto à vontade para ser eu mesma e escrever sobre qualquer coisa que povoe a minha mente. É onde eu desabafo, reflito, compartilho experiências e descobertas, mantenho registro de momentos felizes e de desafios superados, guardo um arsenal de boas memórias, pensamentos e reflexões para me ajudarem nos dias difíceis... Sejam bem-vindos e não pisem na grama, rs... Ah! Se quiser trocar ideias e compartilhar experiências, visite a Página no Facebook, que é uma extensão deste Blog (e acho que os recursos são melhores para todo mundo acompanhar e palpitar)!

quinta-feira, 24 de abril de 2014

Efeito Sombra

Acabei de ler o livro "Efeito Sombra", escrito por Deepak Chopra, Debbie Ford e Marianne Williamson ... e as ideias estão fervilhando! Adoraria trocar ideias e opiniões sobre o assunto...

O vídeo a seguir foi produzido por uma das autoras do livro e ilustra muito bem alguns conceitos tratados nele.
Eu já havia tido contato com o assunto, mas acho que foi a primeira vez que eu realmente parei para refletir sobre mim e sobre tudo o que desconheço sobre mim mesma.

"Prefiro ser pleno a ser bom" (Carl Jung)

O objetivo não é olhar somente para a luz, mas iluminar o nosso lado obscuro... para alcançarmos a plenitude e fazermos uso de todo o nosso potencial!

terça-feira, 22 de abril de 2014

Carne...

Eu não sou vegetariana, mas sou hipócrita: não consigo comer o que me lembra que estou devorando um animalzinho indefeso: não como peixe se for assado inteiro, nunca conseguiria comer um leitãozinho, odeio frango assado e nem sonho em chegar perto de um boi no rolete... mas adoro bifes, filés, postas e ovo estrelado... aaai!

Aqui em casa, comemos cereais, legumes e frutas... mas carne, peixe, peito de peru, linguicinha (...) frequentemente fazem parte do cardápio.
A Luísa (3 anos) às vezes questiona: "Este peixinho é de comida, né, mamãe? Não é o peixinho que nada..." e eu faço que sim com a cabeça, com um certo peso na consciência, mas sem querer admitir para mim que estou mentindo- afinal, aquele peixinho realmente não vai mais nadar!

Outro dia estávamos ouvindo a música "Pomar" do grupo "Palavra Cantada", que adoramos. A música vai dizendo o nome de várias frutas e as respectivas árvores. Ao final, a Luísa cantarolou um trecho da música e completou: "Carne, carneira"! É... bem que podia dar em árvore! Assim, podíamos comer sem peso na consciência...

Veja mais:
* Crianças Vegetarianas: http://www.cantinhovegetariano.com.br/2007/05/criancas-vegetarianas.html

domingo, 20 de abril de 2014

Um pouco de lazer...

Eu e o Luís adoramos séries de TV e estamos assistindo juntos ao "Breaking Bad". Legal demais!
Me perguntaram como é que eu conseguia já ter avançado até a quinta temporada, com 2 crianças pequenas em casa (e trabalhando duro o dia todo).
Nós costumamos assistir a pelo menos um episódio depois que as meninas dormem... ou, pelo menos, quando a bateria da Ísis já acabou e ela não está mais correndo pela sala, com suas mãozinhas elásticas e seu olhar curioso e sapeca. A Luísa, às vezes, nos faz companhia, enquanto faz suas "atividades" - como ela mesma intitula!



terça-feira, 15 de abril de 2014

Em busca da perfeição

Desde muito cedo, somos desafiados a tentar alcançar o céu – os pais e professores encorajam seus filhos a terem um alto desempenho escolar e recompensam o trabalho bem feito com estrelinhas douradas ou carinhas felizes.
Os mantras da minha família sempre foram "Tudo o que merece ser feito, merece ser bem feito!" e "'Não sei' diz o preguiçoso que nada quer fazer".

Apesar das melhores das intenções de quem nos incentiva neste caminho, viver sempre correndo atrás da nota 10 – seja na escola, no trabalho ou na vida – pode resultar em uma vida de constante frustração e auto-questionamento.
"A busca pela perfeição pode ser dolorosa porque muitas vezes ela é motivada tanto pelo desejo de ter um bom desempenho quanto pelo medo das consequências de ter um desempenho insatisfatório”, diz a psicóloga Monica Ramirez Basco. “Essa é a faca de dois gumes do perfeccionismo”.

Em meus 18 anos de vida profissional (16 em IT e 2 em BPM), sempre acreditei que meus maiores trunfos eram meu empenho, meu compromisso com os resultados, minha dedicação quase obsessiva a qualquer tarefa que fosse a mim designada. Acreditava que não poderia atingir os mesmos níveis de excelência e produtividade de outra forma e me senti totalmente perdida quando me vi tendo que cumprir horários de funcionário padrão (para conseguir conviver com as minhas filhas também!) e quando passei a ter mais uma série de compromissos de alta prioridade em minha vida.

Lidar com meu perfeccionismo tem sido o meu maior desafio como mãe e profissional...Que Deus continue me ajudando neste caminho!


domingo, 13 de abril de 2014

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...