Boas-vindas e Contadores

Este Blog já está em sua terceira versão! Aqui eu me sinto à vontade para ser eu mesma e escrever sobre qualquer coisa que povoe a minha mente. É onde eu desabafo, reflito, compartilho experiências e descobertas, mantenho registro de momentos felizes e de desafios superados, guardo um arsenal de boas memórias, pensamentos e reflexões para me ajudarem nos dias difíceis... Sejam bem-vindos e não pisem na grama, rs... Ah! Se quiser trocar ideias e compartilhar experiências, visite a Página no Facebook, que é uma extensão deste Blog (e acho que os recursos são melhores para todo mundo acompanhar e palpitar)!

quarta-feira, 31 de outubro de 2012

Disconnect to connect...

Li recentemente o livro "Como realmente amar seu filho", do americano Ross Campbell, e gostei muito. Este livro já superou a marca de 1 milhão de cópias vendidas em vários países, em mais de 15 idiomas.
O Dr. Ross Campbell, em seus mais de 30 anos de clínica psiquiátrica e aconselhamento familiar, ajudou muitas famílias a enfrentar vários tipos de conflito, identificando que a maioria dos problemas gira em torno dos mesmos dramas fundamentais - pais que não se comunicam com os filhos, filhos que não respeitam os pais, lares instáveis ou relacionamentos esfacelados.

Estou reproduzindo abaixo a sinopse do livro, que recomendo muito aos pais e mães de filhos que ainda não atingiram a adolescência:

Que pai ou mãe, ao ser questionado se ama o filho, pronunciaria um sonoro “não”? Necessidade básica de qualquer ser humano, o sentimento de amar e ser amado manifesta-se ainda mais fortemente na criança. Em muitas situações, o que de fato ela deseja saber é se você a ama. Sua atitude quando seu filho está triste, indiferente, revoltado ou agindo de forma estranha é extremamente importante.
O comportamento da criança ou do jovem sinaliza, em geral de forma inequívoca, o que se lhe passa na mente e no coração, e o dever dos pais — seu instinto mesmo — é reagir prontamente. Nada mais justo e natural.
No entanto, há outra prioridade que muitos pais esquecem ou negligenciam: além da sensibilidade para captar os conflitos de seu filho, é preciso desenvolver a capacidade de antecipar-se a eles.
Em Como realmente amar seu filho [publicado anteriormente como Filhos felizes], que já superou a marca de um milhão de cópias vendidas em vários países, dr. Ross Campbell oferece um guia sobre esse tema tão controvertido. Ele orienta pais e mães na tarefa de cultivar um relacionamento familiar saudável a fim de que possam antever, compreender e atender as necessidades dos filhos. O ambiente, o contato visual e físico, a atenção concentrada, a disciplina, a orientação espiritual e outros aspectos dessa relação tão complexa quanto gratificante são abordados com maestria por um dos conselheiros familiares cristãos mais respeitados da atualidade.

O Capítulo 6 do livro trata sobre a necessidade da criança de receber "atenção concentrada", que nada mais é que a dedicação exclusiva dos pais ao seu filho. Nas palavras do autor: atenção completa, não dividida, de maneira que a criança sinta, com toda a certeza, que é completamente amada, que ela é suficientemente valiosa, por si mesma, para receber o cuidado, a apreciação e o afeto dos pais. A criança deve sentir-se única entre todas, saber que é especial.
Atender a esta necessidade requer tempo e exige que os pais ponham de lado algo que talvez preferissem fazer. Às vezes, a criança necessita desesperadamente da atenção concentrada exatamente quando os pais têm menos disposição para oferecê-la.
Segundo o autor, a atenção concentrada é vital para o desenvolvimento da auto-estima infantil, afetando profundamente a capacidade da criança de se relacionar e amar os outros. Quando a criança está sozinha com sua mãe ou pai, pensa "eu a tenho (o tenho) só para mim", "neste momento, sou a pessoa mais importante no mundo inteiro para a minha mãe (meu pai)". Este é o objetivo da atenção concentrada - capacitar a criança a sentir-se desta forma. Sem a atenção concentrada, a criança experimenta ansiedade por sentir que tudo é mais importante do que ela, ficando, consequentemente, menos segura e muito prejudicada em seu crescimento emocional e psicológico.

Esta é uma das necessidades mais exigentes da criança, pois como pais temos extrema dificuldade em reconhecê-la e muito mais em satisfazê-la. As outras coisas que fazemos pela criança parecem ser suficientes - sorvete, chocolate, presentes e concessão de pedidos incomuns talvez passem a impressão de substituir a atenção concentrada.
O autor fala sobre a questão do tempo, como separar estes momentos das 24 horas do dia, dos sete dias da semana... que parecem nunca ser suficientes para cumprirmos todas as nossas obrigações e fazer tudo o que gostaríamos. Precisamos assumir este fato, para não supor ingenuamente que podemos dar conta de tudo e, ao assumir esta hipótese, passarmos a ser controlados pela pressão da urgência e sermos dominados pela frustração (pois os assuntos urgentes não são necessariamente os mais importantes).
Eu senti muito isso depois que a Luísa nasceu e, especialmente, quando voltei ao trabalho após a licença maternidade. Não conseguia fazer tudo o que costumava e ainda me dedicar à Luísa como queria. Entrei em depressão por conta disso e precisei realizar uma série de mudanças em minha vida para aceitar a nova situação, para abrir mão de algumas coisas e não deixar de lado o que realmente importava para mim! Este ainda é um processo diário de adaptações e decisões...

No mundo moderno, temos a tecnologia ao nosso alcance, mas nem sempre a utilizamos a nosso favor e daqueles que amamos. Podemos nos conectar remotamente à empresa e trabalhar de casa, ficando ao lado de um filho que está com conjuntivite e não pode ir à escola... mas também pode ser que fiquemos tentados a nos debruçar madrugada afora sobre um problema do trabalho que poderia esperar pelo dia seguinte. Podemos nos comunicar com amigos e familiares através das redes sociais... mas também pode ser que fiquemos tão conectados com o mundo de fora que passamos a ignorar aqueles que estão ao nosso lado. É cada vez mais comum ver várias pessoas em um mesmo ambiente, mas sem trocar uma só palavra!

Este vídeo institucional lindo, feito pela empresa de comunicação DTAC, mostra bem essa realidade e levanta uma questão: até que ponto a evolução tecnológica é boa para o ser humano? Assistam ao vídeo e reflitam...


terça-feira, 30 de outubro de 2012

Lamaze - Brinquedos para os pequeninos

Eu gosto muito dos brinquedinhos da marca Lamaze, especialmente para bebezinhos. São todos macios, com texturas, barulhinhos, contrastes, chocalhos e outros atrativos que encantam e estimulam os pequeninos.

Lamaze - Play & Grow - Emily, Fairy and Kangaroo
A Luísa, quando nasceu, ganhou uma bonequinha da Lamaze (Play & Grow - My Friend Emily) que foi sua companheira predileta por muitos meses. Ela também "herdou" da Gabi um canguru da mesma marca (Play & Grow - Sydney & Sandy Kangaroo), que fica em seu bercinho na escola.
Comprei para a Ísis, logo que nasceu uma fadinha da mesma coleção (Play & Grow - Kerry the Fairy).

Li um livro muito interessante durante a licença maternidade da Luísa, "Estimulando a mente do seu bebê" (Dr. S. H. Jacob), que dá uma série de sugestões de atividades, brincadeiras e brinquedos para cada uma das fases de desenvolvimento das crianças. Segundo o autor, algumas das coisas que podem ajudar a criar um ambiente enriquecedor para os recém-nascidos é abusar dos contrastes (especialmente o preto e o branco) e deixar perto dele bonecos com feições humanas (com olhinhos, boca...)... características presentes em quase todos os brinquedos desta marca.
Para bebês do segundo estágio, do primeiro ao quarto mês, o aprendizado está orientado para o corpo. Deve-se apresentar as texturas ao bebê e deixá-lo explorar o mundo à sua volta através da boca e das mãos, principalmente. O autor sugere que se amarre uma fita ou bracelete de fios de lã no pulso do bebê, ou uma luva colorida, um pequeno adesivo (...) para chamar sua atenção para esta parte do corpo.

Trancadinha em casa, navegando muito na Internet madrugada afora, com minha bebezinha no colo, acabo caindo na tentação das compras on-line. #shopaholic
Lamaze - Socks and Wrist Rattles
Achei um brinquedinho barato e que tem caído no gosto das mamães mundo afora. São pequenos chocalhos de pelúcia, em formato de braceletes e de meias, para incentivar os movimentos dos bebês pequenos. Na Amazon, um kit composto por um par de meias + um par de braceletes é vendido por cerca de US$ 10. No Brasil, achei as peças sendo vendidas separadamente, por cerca de R$ 9 cada um (não o par).

Comprei um bracelete e uma meia para a Ísis. Gostei mais do bracelete que da meia (ainda mais neste calor!), mas achei todos os modelos bem bonitinhos. A Ísis se mexe bastaaaante... e quando está acordada gosta de mexer com os bonequinhos em seu berço, ouvir o barulhinho dos brinquedos e, principalmente, observar o nosso rosto enquanto falamos... nos presenteando com gostosos sorrisos!

Ísis, 1 mês e 5 dias, com seu bracelete de joaninha

segunda-feira, 29 de outubro de 2012

quinta-feira, 25 de outubro de 2012

Ísis, 1 mês!

A nossa caçulinha já completou 1 mês de vida!
O tempo passou super rápido, apesar de os dias serem super longos! Eu ainda estou naquela fase hard, em que não tenho mais que 1,5h de sono ininterrupto à noite e não consigo cochilar durante o dia (além de ter todas as atividades truncadas)... mas acho que é mais tranquilo com o segundo filho, pois já sabemos o que esperar. Também estou bem menos neurótica e com muito menos controles, além de já ter a praticidade na troca de fraldas, amamentação e outros cuidados básicos.
A Ísis também é tranquila, não sofre de cólicas... mas adora um colo! Desde que nasceu, ela dorme em seu bercinho à noite, sozinha em seu quarto. Mas, especialmente durante o dia, quando abre seus olhinhos e se vê sozinha, chora até que eu a pegue no colo... aí pára, como em um passe de mágica!
A pequenina adora ficar encostada na gente, aconchegada no peito. Ela olha bem fundo nos olhos de quem a está segurando, parecendo analisar cada detalhe...

Ainda não coloquei a Ísis no EASY, estou amamentando-a em livre demanda (e como a pequena mama!), mas ela segue mais ou menos o intervalo de 3h em 3h.
Neste primeiro mês, fizemos o acompanhamento semanal do ganho de peso da Ísis junto com a pediatra Dra. Ana Paula. Minhas filhas nascem pequeninas, mas crescem rapidamente depois. Neste primeiro mês, a Ísis já cresceu 6,2 cm e ganhou 1kg e 300g desde que deixou a Maternidade (está com 4,540 kg). Já usamos 120 fraldas RN, 40 fraldas XP e estamos no primeiro pacote de fraldas P...
A Ísis já está totalmente livre da icterícia e não restou nenhum problema em sua respiração... mas o sopro no coração ainda pode ser notado na auscultação, apesar de estar mais fraco. Vamos repetir o ecocardiograma no mês que vem e estamos rezando para que tudo se resolva sem a necessidade de qualquer procedimento cirúrgico.

Abaixo, 3 fotinhos da Ísis que fiz hoje, com saia de bailarina!



segunda-feira, 22 de outubro de 2012

Memória...

Cris, aniversário de 2 anos
Os japoneses têm a fama de serem fanáticos por fotografia, mas lá em casa a minha mãe é que sempre estava com a câmera na mão, tirando o máximo daqueles filmes de 12, 24 ou 36 fotos que duravam alguns meses e registravam as ocasiões especiais, exigindo muita produção e cuidado para não estragar as fotos, que só podiam ser conferidas após a revelação.
Minha mãe teve o cuidado de montar álbuns para cada uma das 4 filhas, separando fotos representativas para a história de cada uma de nós.

O meu sobrinho Matheus, hoje com 11 anos, já nasceu na era da fotografia digital... mas os cartões de memória ainda tinham pouco espaço, então a maior vantagem era conseguir conferir na hora se a foto tinha ficado boa, havendo uma possibilidade imediata de realizar nova tentativa. Ainda assim, o número de fotos e vídeos que registraram sua história é infinitamente maior que o que registrou a da geração anterior.

Depois da fotografia digital, houve uma certa banalização da fotografia também... O número de imagens é grande, registramos de tudo... e, com isso, temos que lidar com outras questões: precisamos realizar o download das fotos dos dispositivos em que foram registradas, é necessário organizar os arquivos (para não se perder no meio de tantas fotos), temos que arranjar espaço em disco para guardar tantos dados, selecionar algumas fotos para imprimir, montar fotolivros ou clipes, compartilhar em redes sociais, álbuns virtuais, etc. e... realizar backups.

Comprei a minha primeira máquina fotográfica digital, uma Canon, em 2004. Na realidade, eu a comprei para dar de presente para o Luis, mas ela estava sempre nas minhas mãos! Fiquei com ela até 2009, quando viajamos para os EUA pela primeira vez e a substituímos por uma Canon mais nova (que utilizo até hoje!)

Registrei muuuuuitos momentos especiais e sempre organizei muito bem os meus arquivos (inclusive de fotos digitalizadas). Fiz alguns fotolivros, montei clipes com as fotos, mandei algumas para "revelar", usei muitas delas para ilustrar os meus posts e realizei backups do notebook em CD's, DVD's e, mais recentemente, em 2 HD's externos. Adoro rever fotos e vídeos antigos, relembrar momentos especiais, fazer montagens e recortes.
As fotos e vídeos a partir de 2010, especialmente, depois que a Luísa nasceu, estavam salvas em meu notebook pessoal e nestes 2 HDs (um de 400Gb da Western Digital, MyPassport e outro de 640Gb da LG). Para mim, o mais importante sempre foi garantir que registrava os momentos (minha máquina e a filmadora sempre ficam por perto) e que os arquivos estavam bem guardados, para quando houvesse um tempo para organizar tudo, gerar os fotolivros, fazer as retrospectivas e clipes (...) ou somente para relembrar os momentos.

A primeira fatalidade ocorreu com o notebook: estava na bancada do escritório, próximo à janela aberta e acabou molhando com uma chuva inesperada. Tivemos que mandar para a Assistência Técnica e acabamos perdendo tudo o que estava salvo nele. Zero problemas, em princípio... eu tinha um backup recente de tudo em 2 HDs externos, além dos meus principais arquivos (exceto fotos e vídeos) no Google Drive.
Na correria dos últimos meses, acabei não copiando o conteúdo dos HD's para o notebook novamente, depois que ele voltou do conserto. Também fazia um tempo que não realizava download das fotos e vídeos da câmera e da filmadora. Fui fazer isso alguns dias antes da Ísis nascer, para liberar espaço nos cartões de memória e... surpresa! Os HDs externos (sim, OS DOIS!) não foram reconhecidos pelo notebook. Achei que pudesse ser algum problema remanescente, por conta do "banho" que o computador levou, mas testei no notebook da empresa e nada! O Luis levou para testar em outra versão do Windows, sem sucesso. Meu cunhado trouxe os seus computadores e testamos no Linux e no Mac... nada, nada! Simplesmente, MORRERAM...

Postei um pedido de socorro no Facebook... Vieram algumas ideias, mas ainda não consegui recuperar as informações. Tinha outros arquivos, trabalhos, apresentações, planilhas, apostilas, relatórios, músicas, audiobooks, etc... mas o que está me atormentando é pensar que PERDI todas as minhas FOTOS e VÍDEOS! Ainda não quero acreditar... e não desisti de procurar alguma empresa confiável que me ajude a recuperar os dados dos HDs... mas a Retrospectiva de 2 anos da Luísa já está comprometida. O aniversário está chegando e não haverá tempo para tentar resolver o problema até lá... Que triste!

O que ameniza um pouco é ter muitas coisas aqui no Blog, ter algumas fotos na Web e alguns vídeos e clipes de fotos (mesmo que em baixa resolução) no Youtube, além de ter sido providencial não ter realizado o download dos arquivos da máquina fotográfica e filmadora desde Julho.

Eu sei que os momentos especiais NUNCA sairão da minha memória... mas é tão bom poder manter as recordações, não é? Estou arrependida por não ter concluído antes o Fotolivro de 1 ano da Luísa e dos 10 anos de meu relacionamento com o Luis... estavam começados, mas inacabados, salvos nos mesmos HDs... Buááá!

Agora eu estou à caça de fragmentos: meu computador antigo (que dei para a minha Tia Dirce e não havia formatado totalmente), os CD's e DVD's que tinham os primeiros backups, pendrives, cartões de memória, fotos reveladas (para tirar "foto da foto"), fotos compartilhadas por e-mail, em redes sociais ou copiadas por minhas irmãs... vamos ver no que dá!

SAIBA MAIS:
* Qual a melhor mídia para backup de seus arquivos - Olhar Digital.
* Serviços gratuitos de hospedagem na nuvem - Olhar Digital.

quinta-feira, 18 de outubro de 2012

Ao alcance das mãos (e da imaginação!)...

Já que acabei de escrever sobre o hábito da leitura, resolvi mostrar esta linda prateleira de livros que fiz para o quarto da Luísa (agora, quarto da Ísis), pois queria que os livros estivessem sempre ao alcance das mãozinhas delas, para incentivar o gosto pela leitura.
Encomendei a prateleira de livros no Atelier RA (Rúbia Assumpção), que encontrei navegando na Internet. Visitem o Site ou o Blog e vejam quantas coisinhas lindas!

Sempre gostei muito de ler, desde pequena. Esta não era uma característica só minha, mas de toda a família. Meu pai e minha mãe também liam bastante e a gente costumava ganhar muitos livros e gibis de presente.

Sempre gostei dos gibis da Disney (especialmente as investigações do Mickey), pois traziam estórias mais densas, fazendo a leitura "render". Eu achava as estórias da Turma da Monica divertidas também, mas o gibi acabava muito rápido, então eu só lia de empréstimo!

Lembro que o meu pai costumava levar eu e minhas irmãs ao Horto Florestal, aos domingos, quando acontecia o "Leitura no Parque". Não sei bem de quem era este projeto, mas era genial! Colocavam várias estantes de livros em uma área gramada do parque e tínhamos à nossa disposição uma verdadeira Biblioteca ao ar livre. Lembro que o meu pai sempre ficava lendo o jornal, enquanto cada uma de nós escolhia um livro para ler... levávamos esteiras, lanchinhos e passávamos horas ali.

Nos primeiros anos de escola, também tive contato com a famosa Série Vaga-Lume - quem se lembra? Dei uma olhada nesta lista de livros e acho que li a grande maioria. Tínhamos o costume de visitar algumas Bibliotecas, para pegar livros emprestados.
Eu gostava, especialmente, dos mistérios escritos pelo Marcos Rey (como o famoso "O mistério do Cinco Estrelas"). Seguindo o gênero, gastei muitas horas lendo Agatha Christie e Sidney Sheldon... sendo que li em inglês metade dos livros do Sheldon (os amarelados pocket books comprados na Livraria Cultura, desde que comecei a trabalhar, aos 16 anos).
Também gostava muito das aventuras escritas pela Lúcia Machado de Almeida, como as aventuras de Xisto. Lembro também das férias em Xangri-lá, do Cachorrinho Samba, do menino do dedo verde... e da coleção do Monteiro Lobato (A Reforma da Natureza, A aritmética da Emília....)
Acho que li todos os romances espíritas da Zíbia Gasparetto e devo confessar que também sou fã do Harry Potter e das aventuras dos hobbits (mesmo já tendo passado da infância/adolescência quando foram lançados)...
Gosto dos livros do Dan Brown e chorei muito com o Khaled Hosseini.
São tantos livros que fazem parte da minha história... lembro até da capa cor-de-rosa do "Fofinho", o primeiro livro do qual me lembro, sobre um pintinho amarelinho. Lembro também que adorava um outro livro, sobre um Bonequinho de Massa e sabia de cor e salteado o Tintino... Lembro dos livros de contos de fadas e do sempre querido Pequeno Príncipe.

Luísa, 7 meses
Os livros são assim... trazem para a nossa vida um pouco de magia e mistério, fazem com que a gente se transporte para outros lugares, dão asas à nossa imaginação... Ler é maravilhoso!

PS.: Em 2009, foi lançada uma rede social brasileira para leitores: Skoob ("Books", ao contrário)
Sem publicidade, o site cresceu com propaganda boca-a-boca e se tornou um ponto de encontro para leitores e novos escritores. Através de cadastro, é possível listar o que você está lendo, o que já leu, o que pretende ler, o que está relendo e quais leituras foram abandonadas, formando assim uma "estante" virtual.
Títulos ainda ausentes no banco de dados podem ser adicionados pelos próprios usuários que também podem compartilhar suas opiniões sobre as obras através de avaliações e resenhas.
Agora também está disponível uma ferramenta (Plus) que permite a troca de livros entre os usuários. Viva a colaboração!
É claro que eu estou cadastrada lá... Quando soube desta rede social, fiquei quase a madrugada toda procurando e marcando livros (praticamente os que tenho em meu escritório, sendo que vários fui eu que cadastrei), mas depois não mexi muito mais. A gente não dá conta, né? Mas vale a pena conferir...

Leia para uma criança...

Acabei de encomendar a minha coleção de livros da Campanha do Banco Itaú "Leia para uma criança".
Eu já havia comentado sobre esta ação no ano passado... e ela está de volta!

A Campanha procura incentivar a leitura, este gesto tão simples e tão importante, que contribui para a educação, a cultura e o lazer das crianças, ajudando a mudar para melhor o futuro do Brasil. Estou replicando abaixo parte do conteúdo da Campanha....


Histórias podem mudar a história de uma criança.
Crianças que ouvem a leitura de histórias aprendem melhor, desenvolvem a capacidade de se expressar e se comunicar com os outros.

Ler para uma criança contribui para a garantia de seus direitos.
Quando um adulto lê para uma criança, oferece a ela o acesso à cultura, ao lazer e à educação. Além disso, a leitura aproxima o adulto e a criança e possibilita que compartilhem bons momentos.

As crianças de hoje cuidarão do país amanhã.
São 18 milhões de crianças e adolescentes de 0 a 15 anos que definirão o futuro do país daqui a 30 anos.
Fonte: Facebook

Você pode ser um grande leitor.
Aventure-se e leia. Ao ouvir sua leitura, a criança vai se familiarizando com a linguagem, construindo seu vocabulário e ampliando sua capacidade de compreender o mundo.

Divulgue
Sua missão: ler e inspirar.
Para cuidar do presente e do futuro das crianças dependemos de um importante personagem: você.
Por isso, leia para uma criança e incentive outro adulto a fazer o mesmo.
Ler para uma criança contribui  para sua educação e bem-estar.
Esse é o papel e a responsabilidade de todos nós. Acredite!
Ler para uma criança é um ato capaz de provocar efeitos muito positivos no seu desenvolvimento.
E quanto mais pessoas toparem essa aventura, mais feliz será o final dessa grande história.

domingo, 14 de outubro de 2012

Mão na massa!

Play-Doh Super Rainbow Value Pack



Recebi recentemente o relatório da escola sobre o desenvolvimento da Luísa e me surpreendi ao ler que ela já está brincando com massinha.
Eu sempre adorei brincar de massinha! Então, mais que depressa, procurei na Internet e comprei o kit da Play-Doh "Super Rainbow", para presenteá-la no Dia das Crianças.

Ela ficou super feliz quando abriu o presente e brincamos juntas por horas!!! Muito divertido!



segunda-feira, 8 de outubro de 2012

Disco Baby - Dia das Crianças 2012

Uma das atrações da Disco Baby especial de Dia das Crianças será o DJ Caio, meu sobrinho (filho do irmão mais velho do Luis), que tem apenas 9 anos.
Ele gravou um set que dá a ideia de como será seu set na Disco Baby. Tem de Beastie Boys a Fatboy Slim. Ouça e baixe aqui: http://soundcloud.com/festadiscobaby/dj-set-caio-augusto

Vejam que menino lindo! A foto foi tirada pela mãe do Caio...

E aqui estão informações sobre a festa:

Saiba mais em http://www.facebook.com/festadiscobaby

Boliche Gigante!





A escola da Luísa irá realizar uma série de atividades diferentes nesta semana das crianças.

Eles pediram para que os pais ajudassem a decorar uma garrafa Pet para o Boliche Gigante.

Vejam só a alegria da nossa Luísa com a sua garrafa decorada... =)



sábado, 6 de outubro de 2012

Numerologia Ísis

Revi os meus posts anteriores, quando fiz a numerologia para a escolha do sobrenome da Luísa e também para ver a descrição do perfil do papai e da mamãe. É muito interessante ver o quanto descreve características que reconheço em nós três, nestes quase dois anos de convivência em família.


Fiz a Numerologia da Ísis também... segue abaixo. Volto para conferir daqui a algum tempo... =)
O Número do Destino dela é o mesmo que o do Luis. Ele realmente é assim, pilhado! Capaz de realizar milhões de atividades, cheio de energia!
O Número da Personalidade dela é o mesmo que o meu. É engraçado que eu havia visto a descrição da Personalidade como mãe, mas me reconheço muito na descrição abaixo também.
Não há correspondências com a Luísa, que tem o mesmo Número do Destino que eu.

Ísis, 11 dias
número do Destino identifica o propósito na vida - 5 - O aventureiro. 
O destino do seu bebê é realizar mudanças. Esteja preparada para isso desde o início. Já quando chegar ao seu colo, embora venha todo embrulhadinho, observe que ele logo colocará as mãozinhas para fora. Como ele se movimenta muito, redobre a atenção. Esse bebê também não é do tipo que fica no colo por muito tempo. E você vai precisar de fôlego para acompanhá-lo. Chame a sua atenção por meio de brinquedos, livros bonitos, coisas coloridas. Por alguns instantes, isso terá resultado. As pessoas mais velhas podem ficar nervosas por não saber o que fazer para controlar tanta energia. Em vez de reprimir, o mais indicado é ensinar que, com calma, seu bebê aproveitará mais o que estiver acontecendo.

número da Personalidade descreve como o bebê se comporta e se expressa no mundo
Seu filho é dessas crianças precoces. Já nos primeiros dias de vida, parece ter mais idade do que um recém-nascido. E, mesmo quando começa a engatinhar, fará isso com uma competência que saltará aos olhos dos pais. Mais para a frente, vai ser comum ouvir dos outros que ele se comporta bem diante das visitas. Mas nem pense em fazer disso (ou seja, dele) o centro das atenções. Ele é apenas responsável, não um superstar. Deixará os amigos mais legais usarem os seus brinquedos ou o material escolar - isso significa aqueles que os devolvem na mesma condição em que foram emprestados. Poderá parecer ciumento, mas no fundo é que sabe quanto custa cada coisa, sem falar do valor afetivo que atribui a elas. É justo e espera o mesmo de você. Quanto ao futuro dele, pode se sentir privilegiada: como seu filhote precisa de estabilidade, vai buscar uma carreira sólida, que lhe traga segurança, mesmo que o trabalho duro lhe seja exigido.

número da Alma revela os sentimentos, nem sempre percebidos pelas outras pessoas
Desde muito pequenino, seu bebê vai surpreender pela energia. Terá um bom desenvolvimento e provavelmente andará primeiro que os coleguinhas. Gosta de ser atendido em suas necessidades e pode chorar muito se isso não acontecer. É um grande candidato a birras precoces, por isso fique atenta e se mantenha firme. Nenhuma criança cresce saudável sem limites. Como gosta de comandar, ele logo fará com que seus amiguinhos sigam a sua liderança. Saberá dividir seus brinquedos, sim, mas somente com quem confia. Necessita e deseja liberdade e, ao mesmo tempo, muita proteção - mais do que você imagina. Apesar de demonstrar coragem, oculta o medo do não-reconhecimento. Nessa hora, vai precisar do seu apoio e do seu amor para transformar os sonhos em realidade.

sexta-feira, 5 de outubro de 2012

Ísis, 10 dias

A Ísis fica sempre com as mãozinhas em seu rosto... desde as imagens que capturávamos através das ultrassonografias. Vejam que coisinha mais fofa!!!



Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...