Boas-vindas e Contadores

Este Blog já está em sua terceira versão! Aqui eu me sinto à vontade para ser eu mesma e escrever sobre qualquer coisa que povoe a minha mente. É onde eu desabafo, reflito, compartilho experiências e descobertas, mantenho registro de momentos felizes e de desafios superados, guardo um arsenal de boas memórias, pensamentos e reflexões para me ajudarem nos dias difíceis... Sejam bem-vindos e não pisem na grama, rs... Ah! Se quiser trocar ideias e compartilhar experiências, visite a Página no Facebook, que é uma extensão deste Blog (e acho que os recursos são melhores para todo mundo acompanhar e palpitar)!

sexta-feira, 29 de abril de 2011

quarta-feira, 20 de abril de 2011

NUK

Estamos muito acostumados a usar a Internet para reclamar sobre as empresas e defender os nossos direitos de consumidor. Também acho importante elogiarmos as empresas que tratam seus clientes com respeito e atenção... então, estou escrevendo este post para agradecer à NUK!

Como já comentei por aqui, estou usando uma bombinha tira-leite elétrica da NUK desde que a Luísa nasceu. Entretanto, tive um problema com ela há alguns dias (uma das peças soltou e eu não consegui encaixá-la novamente, afetando a força da sucção).
Doação entregue ao BLH hoje, sacrifício na ordenha manual
Fiquei transtornada! Não podia acreditar que vinha extraindo leite diariamente há meses, para doação, sem qualquer problema, e justo agora que está chegando o momento de retornar ao trabalho e será importante continuar extraindo leite para oferecer à Luísa durante a minha ausência, não poderia contar com o aparelho! Comecei a praticar a ordenha manual, sofri um pouco nos primeiros dias, mas comecei a me acostumar... é um processo efetivo, mas demorado e muito, muito trabalhoso.

Na segunda-feira (18/04), escrevi para a NUK explicando o que havia ocorrido e questionando se havia alguma forma de encaixar novamente a peça ou se seria passível de conserto em Assistência Técnica.
O SAC da empresa entrou em contato comigo por e-mail, um dia depois, informando que estavam me enviando uma nova bomba elétrica, já testada, para substituição. Fiquei super feliz e muito satisfeita com a resposta da empresa, imaginando que me enviariam um novo motorzinho para a bomba.
Nova bomba e Brindes da Nuk

Qual não foi a minha surpresa, hoje, apenas 2 dias depois do meu contato, quando chegou pelos Correios uma caixa contendo uma bomba novinha (até com manual) e ainda acompanhada de alguns brindes!?

Além de fabricar produtos de excelente qualidade, a NUK é uma empresa que respeita seu consumidor e o trata com muita atenção!
Parabéns! E muito, muito obrigada!

terça-feira, 19 de abril de 2011

quarta-feira, 13 de abril de 2011

Luísa, sapeca!

Ok, sei que o título do post é repetido! A Luzinha já mostrava que era uma bebezinha sapeca desde que ainda "morava" na minha barriga. Agora, do lado de fora, estou cada vez mais convencida disso!

Nossa bebê não pode ser considerada uma "Miss Simpatia" (especialmente com pessoas que não conhece), mas sempre foi muito tranquila e boazinha com todos. Às vezes, a Luísa é bem séria e até meio bravinha (digo que herdou este lado do pai, hehe), mas tem seus momentos de muito bom humor e nos divertimos demais! 

Há um post, em rascunho há muito tempo, no qual eu falava sobre o riso social. O pediatra da Luísa comentou sobre isso na consulta de fevereiro, quando a Luísa estava completando 3 meses, idade em que o bebê começa a manifestá-lo (bebês mais novos também sorriem, até dormindo... mas não é com a intenção de agradar - o que caracteriza o riso social). Cheguei a ler uma tese inteira sobre o assunto na época, planejando publicar aqui no Blog, mas fiquei esperando o dia em que conseguiria editar um vídeo para ilustrar o post e nunca cheguei a publicá-lo (shame on me!)... 

A Luísa começou a ficar mais "falante" depois de completar 3 meses... ficou mais sapequinha, mais risonha, observa e mexe em tudo, emite muitos sonzinhos e até tem sido mais simpática com os estranhos. Ela é bem independente: quase sempre dorme sozinha, brinca bastante por conta própria, mas também gosta muito da interação... está sempre buscando o nosso olhar, reagindo a nossos sorrisos e incentivos, observando nossas reações, imitando gestos e sons. É uma troca muito gostosa e melhora a cada dia! No final do mês passado, ela começou a gargalhar... uma verdadeira terapia do riso!

Hoje eu havia colocado o arco de brinquedinhos (presente da minha amiga Fernanda, um brinquedo super versátil e que a Luísa adora) mais para baixo no berço e a Luísa se divertiu chutando os bichinhos. Eu peguei a filmadora para registrar e acabei conseguindo gravar suas gargalhadinhas. 
Antes que o vídeo se perca em meio aos demais, estou compartilhando as imagens com vocês (uma edição). Espero que gostem! Foram as últimas brincadeiras do dia, depois do banho e de vestir o pijaminha, para embarcar em seu soninho... 

E amanhã tem comemoração: 5 meses da Luzinha!!!



terça-feira, 12 de abril de 2011

Babies

Ju e Isa, Cris e Luísa
Hoje, eu e a Luísa fomos a mais uma sessão do CineMaterna. A minha amiga Juliana e a sua linda bebê Isadora também foram, mas a Karin não pôde nos acompanhar desta vez (pois o Renan e a Lorena estão meio doentinhos).
Era a estreia das sessões de mamães e bebês no Shopping Bourbon e estava lotado! Eu acho que nunca vi tantos bebês em um mesmo local (nem mesmo na Maternidade)... mas a organização foi impecável.

Desta vez, além de ter curtido o passeio, também adorei o filme!

Assistimos ao documentário francês "Babies", que mostra a vida de 4 bebês de diferentes partes do mundo, desde o dia em que nasceram até seus primeiros passos. O filme não tem narração ou comentários, somente imagens, músicas e sonzinhos emitidos pelos bebês (camuflados pelos barulhinhos dos pequenos espectadores de nossa sessão). As filmagens iniciaram em 2006, foram mantidas por cerca de 2 anos e depois foram necessários outros 2 para realizar a edição.
Luísa, animada para ir ao cinema!
Os bebês, cujas vidas são retratadas, são: Ponijao, que vive com os pais e 8 irmãos em uma pequena vila perto de Opuwo, Namíbia (sul da África); Bayar (meu favorito!), que vive com os pais, irmão e bichinhos de estimação nada convencionais na Mongólia (Ásia Central), em uma pequena fazenda em Bayanchandmani; Mari, que vive com os pais em Tókio, Japão; e Hattie, que mora com os pais em São Francisco, Estados Unidos.
Há uma diferença muito grande de ambiente, costume, estrutura familiar, higiene e condição social. Mas o mais interessante é notar as similaridades e ver que o mundo das crianças é muito mais simples e independe de todos estes fatores.
O filme captura as pequenas vitórias e descobertas, que são verdadeiras aventuras para os bebês, em qualquer parte do mundo! Como pais, acabamos aprendendo a ver com outros olhos as cenas do cotidiano:  nunca me imaginei torcendo por um arrotinho, examinando o conteúdo de uma fralda, aplaudindo (e ainda filmando e compartilhando) um simples som ininteligível, por exemplo!

Coloquei abaixo o trailer e sugiro que vejam também esta cena, que arrancou muitas risadas do público!


domingo, 10 de abril de 2011

1 ano depois...

O aniversariante do dia, com nossa bebê!
Hoje é aniversário do Luís (Parabéns, amore!) e também faz 1 ano que descobrimos que estávamos esperando um bebê! A Luísa já estava crescendo dentro de mim há cerca de 20 dias, mas foi em 10/04/2010 que tivemos a confirmação. Ainda lembro a grande emoção que sentimos, seguida depois por tantos outros momentos especiais. E sei que daqui pra frente será sempre assim!

Nossa vida muda MUITO quando somos pais! E a Luísa é um bebê maravilhoso!
Neste ano que se passou, ganhei quase 12kg e depois perdi mais de 14kg... não ganhei estrias ou varizes, mas tive muito enjôo e azia, para compensar... Nos últimos 4.5 meses (desde que a Luísa nasceu), já demos uns 150 banhos, chorei junto com ela nas 7 picadinhas de vacina, pelos meus cálculos devemos estar atingindo a marca de 850 trocas de fralda e bem mais que 1.000 mamadas... foram 8,6 litros de leite já doados ao BLH (e, se esta foi a "sobra", posso imaginar a quantidade que ela consumiu!)... Registramos nossos momentos e descobertas em 173 posts, 10.407 fotos e 1.050 vídeos (estes números, recém contabilizados, estão causando espanto até em mim! Imaginem quantas horas serão necessárias para organizar tudo isso!). Comemoramos 4 mês-versários da pequena, fomos juntos a outras 4 festas de aniversário, 1 casamento, 2 nascimentos, 16 consultas médicas, 7 Shopping Centers, 1 sessão de cinema, 21 almoços e 15 jantares em 22 restaurantes diferentes, além das muitas visitas que fizemos/recebemos e outras atividades corriqueiras (clube, praça, supermercado, sacolão, Cobasi, lojas, bancos, escolas, etc.)!
Também foi um tempo de intenso aprendizado! Desenvolvi novas habilidades, como: ficar em casa (rs!), fazer comida, interpretar choros, trocar fraldas, dar banho e outros cuidados, usar a mão esquerda também para fazer (quase) tudo... Praticamente retomamos nossa vida social, mas precisamos de muito mais planejamento e infraestrutura. Ficamos mais flexíveis e mais silenciosos... Aprendi a delegar, a pedir ajuda e a não me cobrar tanto... Me tornei mãe em tempo integral, passando de workaholic babyaholic... E já estamos tão acostumados com a pequena que mal conseguimos nos lembrar de como era a nossa vida antes dela existir!

Criei um clipe de fotos, com a duração de uma música que eu adoro (Rhapsody on a theme of Paganani, de  Rachmaninov), para resumir em algumas imagens os momentos e lembranças deste último ano... Claro que não está completo (basta lembrar a quantidade de fotos e vídeos que acumulamos para ter a certeza de que seria impossível rever tudo e fazer uma seleção nos intervalos de sono da bebê, rs!), mas já passa uma ideia de como fomos (e estamos) felizes!



quarta-feira, 6 de abril de 2011

Mais 2 para a turminha!

Lembrancinha de Maternidade, Gabriel
E a Luísa ganhou mais 2 amiguinhos!
No dia 04/04, nasceram o Gabriel (filho dos amigos Roel e Edinalva) e o Matheus (filho dos amigos Marcelo e Letícia).

Hoje, eu e a Luísa fomos visitar o Gabrielzinho! Muito lindo!
Incrível como a Luísa parecia gigante ao lado do pequeno (isso porque ele nasceu maior do que ela). É assim que a gente constata como os bebês crescem rápido! Deu até saudade dela bem recém-nascida... =)

Muita saúde para os pequenos! Em breve, todos estarão aprontando juntos!

sexta-feira, 1 de abril de 2011

Chorinho...

Luísa, 09/02/2011, 12 semanas
Acho que não há nada mais desesperador do que o choro do bebê... especialmente quando não temos a menor ideia do motivo da reclamação e nossas tentativas de cessá-lo são recompensadas com um choro ainda mais forte!
Mesmo os bebês mais bonzinhos e tranquilos têm seus momentos de choro... afinal, é a única linguagem que eles conhecem (além dos movimentos corporais) e não deixa de ser um mecanismo de defesa e de relaxamento (assim como o reflexo de sucção).
No começo, eu ficava muito nervosa com qualquer chorinho da Luísa. Depois, a gente vai aprendendo a suportar e também a interpretar melhor.

Já comentei antes que estabelecer uma rotina foi importante para mim, para que eu consiga entender com mais facilidade o motivo do choro, qual necessidade da Luísa eu preciso atender.
No livro da Encantadora de Bebês, ela dá boas dicas para melhor interpretação do choro do bebê, além de apresentar a sua técnica S.L.O.W para guiar estes momentos (Slow significa devagar, em inglês, e é o acrônimo para S-stop/pare, L-listen/escute, O-observe/observe, W-what's up/o que está acontecendo?). Ela sugere que os pais prestem atenção ao motivo do choro antes de começar a executar manobras para acalmar o bebê (a reação mais natural é tentar calar o choro do bebê, a qualquer custo, mas o ideal é entender o motivo e atender à necessidade). É necessário prestar atenção ao horário, ao contexto, à linguagem corporal do bebê... e até ao som do choro. Nem sempre é fácil, mas a recompensa é evitar uma crise ainda mais difícil de interromper!

Luísa, 11/03/2011, 16 semanas
Estou replicando aqui o que a Encantadora de Bebês diz que o choro (de um bebê saudável) pode significar:
  • Estou com fome.
  • Estou cansado.
  • Estou superestimulado.
  • Preciso mudar um pouco de ambiente.
  • Minha barriga dói.
  • Eu não estou confortável.
  • Estou com calor.
  • Estou com frio.
  • Já chega.
  • Preciso de um abraço ou de tapinhas carinhosos.
No livro, também há uma tabela com descrições do estilo do choro e da linguagem corporal que demonstra cada um destes motivos.

Hoje de manhã, a Luísa acordou às 6h30. Eu vi que ela havia acordado e estava brincando no berço, levantei, me preparei e fui ao seu quarto... ela não chegou a chorar. Eu a amamentei, troquei a fralda e levei-a para nosso quarto, para que ficasse um pouquinho perto do papai, antes dele ir trabalhar. Ela ficou na cama, com seu cobertorzinho e a lagarta de brinquedo... às 7h30, eu liguei a televisão para assistir ao Jornal... perto das 8h, ela começou a reclamar. Eu sabia que estava cansada, a levei de volta ao seu bercinho. Logo que eu a coloquei, ela deu uma choradinha... mas eu a cobri, fechei a janela (pois já tinha um solzinho), falei com ela e saí do quarto. Ela reclamou mais um pouquinho, de mansinho, bocejou, esfregou o rosto e, em menos de 5 minutos, adormeceu.
Se eu não soubesse dos seus horários (e já fiz muito disso), tentaria alegrá-la com os brinquedos, alimentá-la ou embalá-la no colo... eu a deixaria mais irritada, mais cansada e, provavelmente, teria que enfrentar uma crise de choro. Mas tudo o que ela precisava era de uma boa soneca.

Só que, às vezes, não é possível atender prontamente à necessidade ou não estamos no ambiente adequado para isso... aí, o resmungo inicial pode se transformar em algo bem pior (normalmente, tenho trabalho com a Luísa quando ela está muito cansada e há muitos estímulos visuais/sonoros).

Meus amigos da Federal (Íris, Erika, Lívia, Miriam e Carlos Reis) compraram um moooonte de coisas para a Luísa nos Estados Unidos... tudo trazido pela Íris no final do ano passado. Muitos itens fofos e, principalmente, úteis! Algumas coisas que eu nem conhecia...

SwaddleMe - Instruções de uso
Um dos presentes foi o "SwaddleMe", que é uma mantinha, em formato especial e cheia de velcros fortes, para enrolar o bebê com facilidade.
Se você perguntar para as mães mais antigas, elas lhe contarão sobre o famoso "charutinho", que se fazia antigamente. A explicação é que o bebê, quando está dentro do útero, fica bem apertadinho. Recriar esta condição ajuda o bebê a se sentir seguro e se acalmar. A Encantadora de bebês também explica esta técnica em seu livro.

Não é um truque para se usar sempre e funciona especialmente com os recém-nascidos (a Luísa sempre foi calminha e eu precisei utilizar a técnica somente 2 vezes, em madrugadas de choro... e funcionou muito bem!), mas estou colocando aqui no Blog para vocês conhecerem também...


Há 3 anos (30/03/2008), o Fantástico apresentou uma reportagem sobre o assunto (vejam vídeo abaixo). Nesta reportagem, eles comentam também sobre o chiado. Esta técnica eu utilizo até hoje com a Luísa, mas não faço tão forte e nem diretamente no ouvido dela... vou fazendo o chiadinho ritmado até ela se acalmar... e funciona especialmente quando o motivo do choro é cansaço, sono, excesso de estímulo... caso contrário, só atendendo à necessidade! Minha menina é boazinha, mas sabe ser exigente...



Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...